visitas.
1 2 3 4 5
THEME POR PROMISSE | DON'T COPY + +

Capítulo 9 - Parte 1.

Gabi narrando:


Depois do banho, vestimos nossos pijamas e fomos deitar exaustos, ele disse que precisávamos descansar pois teríamos um dia e tanto na manhã seguinte. Acordei com ele selando nossos lábios, o cheiro de hálito fresco e cabelo recém lavado e jogado pra trás meio despenteado.
Abri só um pouco os olhos e tentei me tapar com as cobertas, ainda estava morrendo de sono, mas foi em vão, ele tirou toda minha coberta e jogou seu corpo em cima do meu, me fazendo cócegas pra que eu levantasse.
 

— Ain amor, deixa eu dormir só mais um pouco, vai? — Fiz bico.


— Nada disso, princesa. Levanta, toma seu banho porque nosso café da manhã já esta na mesa, temos que nos alimentar bem porque vamos ficar o dia todo fora. — Ele beijou meu pescoço.


— Sim senhor!


Tomei um banho rápido, ele pediu pra que eu colocasse um biquíni,  vesti um short, uma regata rasgadinha, um chinelo de dedo, prendi o cabelo num rabo de cavalo, passei um pouco de perfume e fui tomar café com ele que estava vestindo uma bermuda azul clara, uma camisa branca e estava de chinelo também. Luan empurrou pão integral pra cima de mim, me deu panquecas na boca e me fez comer uma salada de frutas, eu já estava completamente cheia. Fazendo muita surpresa e escondendo o jogo, ele colocou protetor solar na mochila, duas toalhas de banho, uma canga e alguns sanduíches, frutas e garrafas d’água congeladas. Descemos, ele cumprimentou o pessoal da recepção e sem soltar minha mão nem um segundo, entramos num carro popular e eu estranhei, já que ele que estaria dirigindo. Ele ligou o gps e digitou: ”Cachoeira da pedra branca.” A mulher do GPS indicou que estávamos a 15 km de distância, ele colocou Boyce avenue pra tocar no celular e fomos o caminho todo cantando as músicas, o nosso inglês era péssimo por sinal. Pouco tempo depois chegamos no local, Luan estacionou o carro embaixo de uma bananeira, mas eu não tinha visto a cachoeira ainda, olhando pra frente vi uma trilha estreita, estava um calor absurdo me fazendo suar bastante.


— Amor, cadê a cachoeira? — Perguntei ansiosa.


— Vamos ter que fazer uns 600 metros pra chegarmos até a cachoeira, o caminho é estreito e carros não passam. Trouxe repelente, vem que eu vou passar em você.


Ele passou o repelente nas minhas pernas, nas minhas costas e nos meus braços, eu fiz o mesmo com ele e passei protetor em seu rosto. No final dei um selinho nele, que já veio empurrando a língua pra dentro da minha boca, mordi seus lábios com força e ele me deu um tapa na bunda.


— Isso doeu, sua ruim. — Ele esticou o bico.


— Me perdoa, bebê. — Dei um beijo no nariz dele.


Andamos cerca de uns 15 minutos e chegamos ao local, a cachoeira era completamente linda, o sol batia na água mostrando a beleza da sua transparência, havia muito mato em volta, pedras grandes e o melhor: O local estava praticamente vazio, apenas um casal de hippies se banhando. Estendemos a canga na maior pedra, ele passou protetor solar em mim e eu nele, fomos direto tomar um banho, apesar do calor a a água extremamente gelada, me fazendo quase recuar. Luan me pegou no colo e foi andando com cuidado até chegarmos num ”poço” que cobria nossos corpos até a altura do peito, molhamos a nuca e os pulsos e depois fomos mergulhar. Ouvi a menina dizendo que estava com sede e pediu pro namorado que eles fossem lá embaixo e pegar a outra trilha pra conseguirem comprar algo, Luan também ouviu e ofereceu dois sanduíches, umas barras de cereais e água pra eles, que não queiram aceitar de jeito nenhum achando que era incomodo, mas depois de tanto insistirmos eles aceitaram. Ficamos conversando um bom tempo, até que o rapaz foi até a pedra onde as coisas deles estavam guardadas, numa mão ele trouxe um violão e na outra um filtro dos sonhos.


— Isso aqui é pra vocês, por terem sido tão amigáveis. Eu sei que não é um presente caro, mas é a minha arte e com a maior boa intenção, que só fiquem as coisas boas, que os pesadelos e medo se afastem de vocês. — Ele entregou em minhas mãos.


— Sem dúvida um dos presentes mais sinceros que já recebi, só pela intenção de nos desejar coisas boas. Obrigada, de verdade! — Apertei sua mão.


—  Po cara, que massa, muito obrigado mesmo. Eu desejo em dobro pra vocês, que são um casal lindo também. — Luan levantou e o abraçou.


— Vocês gosta de música, né? Podemos cantar algo juntos. — Gabriel falou para Luan.


—  Cara, cê sabe quem eu sou? Jurava que não tinha me reconhecido, geralmente não recebo esse tipo de tratamento tão natural. — Luan parecia espantado.


—  Somos todos iguais cara, eu sei ver isso claramente. Você é um cara tão humilde, simples…Não muito diferente do que passa na tv, só que bem mais natural. — Gabriel dedilhou o violão.



Depois de tudo aquilo dito, ficamos bem mais a vontade. Os dois ficaram cantando músicas as quais ambos sabiam, ou as vezes Gabriel só tocava o violão e Luan cantava, era incrível como o Luan conhecia tantos cantores e bandas, me espantou até saber que ele curtiu Armandinho, um dos meus cantores preferidos. Ele sentou de frente pra mim e Gabriel de frente pra Júlia, então juntos começaram a cantar uma das minhas músicas preferidas, o que me fez sorrir feito boba, fechando os olhos e aproveitando aquele momento. A voz de Luan se destacava, senti seus lábios se aproximarem do meu ouvido enquanto ele cantava: (Ouçam a música aqui: http://www.youtube.com/watch?v=NfJXkopEQtM )


”Fiquei trabalhando até tarde, mas não vou dormir sem dizer: Que eu juro, te juro amor eterno.”



Ficamos por um bom tempo conversando, cantando, comendo, mergulhando, Júlia e Gabriel contando os lugares que já tinham visitado, a vida sem rumo que tinham, mas o quanto eram felizes juntos. Os dois eram formados em biologia, mas tinham largado o emprego fixo pra viver como eremitas, pegando alguns trabalhos só pra manterem as despesas da viagem, Luan ficou louco pois era seu sonho se formar em biologia e acabou fazendo um zilhão de perguntas. Por volta das 14:00 horas, eles se despediram, dizendo que tinham que arrumar suas coisas e partirem pra Búzios, pois a passagem de ônibus já estava comprada para as 18:00 horas.  
Finalmente eu e Luan ficamos sozinhos, deitamos pra pegar um sol e ele acabou pegando no sono, o acordei enchendo de beijos pelo corpo todo, ele despertou meio preguiçoso, retribuiu o beijo, tirou a bermuda e pulou do alto da pedra pro poço, só então eu tinha visto que ele estava de sunga vermelha, deixei ele brincando feito uma criança e resolvi tirar a marca do meu biquíni, desamarrei ele atrás e em cima, fazendo um topless e deitando de costas pro sol. Senti uma mão gelada nas minhas costas pouco tempo depois, era Luan que logo beijou minha nuca.


— Mulher minha não pode ficar de peito de fora não, ta maluca? — Ele fingiu estar irritado.


— Ô homem ciumento, só tem eu e você aqui e olha, não tenha nada que você já não tenha visto. — Brinquei.


— Isso é judiação, porque você ta me deixando louco por você aqui. — Ele sorriu malicioso.


— E que mal tem? — Levantei tapando os seios.


— Cê tem coragem? Olha que eu te pego aqui mesmo. — Ele mordeu o lábio inferior.


Soltei minha mão e aproximei nossos corpos, puxei seu cabelo o trazendo pra me beijar, ele segurou na minha cintura e me apertou com força, gemi baixinho em reação. Ele apoiou meu corpo na pedra, deitou em cima de mim e foi acariciando minhas coxas, sem deixar de me beijar um segundo. A coisa foi ficando e eu já sentia seu membro rígido por debaixo da sunga, ele colocou um dos seus dedos dentro da minha boca me fazendo chupar, desceu num ritmo lento até a calcinha do meu biquíni e introduziu em mim, foi quando me contorci e tentei abafar o gemido.


— Melhor a gente ir atrás de uma dessas pedras, se alguém chegar não vai ver. — Ele sussurrou no meu ouvido.


Descemos rápido, e fomos para atrás de uma pedra grande onde a água batia em nossos joelhos. Ele me puxou pra seu colo, prendi minhas pernas em volta da sua cintura e o beijei com força.


— Eu quero você em mim, agora. — Ordenei.


Sem cerimônias ele colocou seu amigo pra fora e masturbou, abaixei e chupei rapidamente, apenas pra lubrifica-lo. Ele novamente me pegou no colo, apenas chegou meu biquíni pro lado e penetrou, ficamos naquele ritmo lento fazendo amor encostados na pedra. Eu gozei primeiro e em seguida ele, nos beijamos, tiramos toda roupa e tomamos um banho rápido. Sorri safadamente pra ele após termos feito algo tão perigos e prazeroso. Pegamos nossas coisas, caminhamos até o carro e voltamos para o hotel pra almoçar, mesmo que tão tarde, estávamos famintos.


foreversantana asked: Hoje tem parte 1 do capítulo 9?? Tô amaando!!! 😍

Só amanhã, baby!!


ATENÇÃO LEITORES, SURPRESA PRA VOCÊS! (LEIAM.)

Oi meus amores, apareci de novo pra interagir com vocês! Ontem de madrugada fiquei pensando em cada palavrinha que escrevo aqui, compartilhando meus sonhos com vocês, e sei que vocês sonham junto comigo a cada capítulo postado. E aí pensei que vocês podem fazer mais parte desse sonho comigo. Mas pera, ainda não vou contar o que é!!

Vocês fazem parte do grupo da FANFIC NO FACEBOOK? Ainda não? Ta esperando o que? Corre lá e pede pra participar.

https://www.facebook.com/groups/302185383215843/

Hoje de madrugada ou amanhã de manhã, eu conto pra vocês como tornaremos os sonhos mais fortes!! Não fiquem com vergonha, participem do grupo e da surpresa.

Beijos da escritora que ama vocês deeeeeeeemais!!


Anonymous asked: Pelooo amor de Deus , contínua :O kkk - To amando a fanfic , vcs são demais .

Oi meu amor, já faz parte do meu grupo no facebook? Lá eu posto todas as novidades, e preparei uma surpresa pra vocês!!


Capítulo 8 - Parte 10.

Gabi narrando:


Pousamos em segurança num campo enorme, um vento gelado batia fazendo com que eu me arrepiasse toda, minhas costas estava praticamente nua por conta do decote do vestido. Quando o piloto ia abrir a porta para que descêssemos, Luan fez um sinal pedindo pra que ele esperasse, tirou uma venda marrom do bolso da sua calça e disse que precisava me vendar, pois fazia parte da surpresa.
Ouvi ele pedindo ao Piloto que levasse as malas para o lugar combinado e pedisse a uma tal de dona Ivone pra deixar as coisas arrumadas, que estaríamos lá dentro de uma hora. Com a ajuda de Luan, desci do helicóptero e entramos num carro, não demoramos nem 1O minutos pra chegar no local, ele me ajudou a sair e caminhamos mais um pouco, ele me sentou num banco gelado e tirou as sapatilhas do meu pé, ouvi ele tirar seu tênis também, senti a areia fofa quando demos mais alguns passos, aos poucos ele retirou minha venda e eu pude contemplar a beleza daquele lugar, estávamos numa reserva, uma praia linda com águas transparentes, o céu enfeitado de estrelas e lua cheia fazia com que a noite ficasse extremamente perfeita. Senti ele me abraça por trás, me tremi de frio e ele retirou seu casaco colocando sob meus ombros.


— E aí minha princesa, gostou? — Ele sorriu.


— Luan, é tudo tão maravilhoso! Onde nós estamos?


— Paraty, Rio de Janeiro.


— Que lugar incrível, obrigada por me proporcionar isso. — Selei nossos lábios.


— Ainda tem mais surpresa. Eu fiz uma canção quando estávamos separados, e eu quero mostrar pra você.


— Você não cansa de me surpreender?


”O quarto meio escuro, a janela aberta, a porta encostada, a lua está tão bela e eu tô aqui sentindo falta de você. Já vi todos os filmes, li todos os livros e tô esperando a próxima novela, tudo porque eu tô tentando te esquecer. Em qualquer lugar que eu vou, onde você esta eu estou. O meu pensamento te segue, minha saudade te persegue, o meu amor não envelhece, cê não saí da minha mente. É que você me causa febre, de uns quarenta graus um pouco mais, eu quero você, eu amo só você e o resto tanto faz.”


Senti as lágrimas salpicarem meus olhos enquanto eu ouvia ele cantar, aquele frio na barriga e o sorriso que ele tirava de mim só pelo fato de existir, me joguei em seus braços fazendo com que caíssemos na areia, o beijei com calma, me entregando aquele momento que era tão nosso, terminamos o beijo com alguns selinhos, olhando em seus olhos eu tive a certeza mais do que nunca de que era ele que meu coração tinha escolhido pra amar. Como a vida era louca, o via como ídolo, como a pessoa que resgatou meu coração da escuridão, como meu maior exemplo, e nunca imaginei que um dia poderíamos ter uma vida a dois. E por um acaso (que eu chamo de Deus), ele tinha me encontrado no meio de tantas mulheres, tão diferentes e melhores do que eu, e seu coração tinha escolhido a mim também.


— Sabe o que eu me pego perguntando?— Mexi no cabelo dele.


— Me diz. — Ele fez carinho no meu rosto.


— E se você tivesse feito a prova do vestibular e cancelado aquele show? E se você tivesse passado? E se você desistisse quando chegou num show e tocou pra mais ou menos 2O pessoas? E se aquele cara não tivesse posto seu cd na internet e entregado na mão de um radialista? A vida de milhões de garotas e garotos seriam tristes, como eu era antes de te conhecer. Pode ser egoísta o que eu vou dizer, mas agradeço a Deus por você ter escolhido cantar, por não ter seguido a profissão dos seus sonhos antes de escolher ser um artista.
Ele realmente sabe o que faz, eu não iria saber lidar com todos meus problemas sem ter a sua voz pra me guiar no meio da escuridão, eu não daria sorrisos tão sinceros, não seria realmente feliz. A sua voz curou tanta gente, trouxe a verdadeira felicidade a tantos corações. Nem quero imaginar o que seria da minha vida sem você, sem o seu sorriso e sem a tua voz junto com suas canções. É por isso que eu amo todo seu conjunto, do jeitinho que você é. Mesmo com todos os defeitos, és perfeito pra mim, pois fez tudo que eu precisava pra me ver feliz, sem ao menos me conhecer. —


— Não canso de dizer pros meus pais, hoje os papéis se inverteram. Eu sou o maior fã de vocês, por tudo que trouxeram pra minha vida, por nunca terem deixado eu desistir, por colocarem minhas músicas em primeiro lugar nas rádios, ser o artista que mais participa e ganha votações nesse Brasil, por terem aceitado cada um dos meus defeitos, por terem me amado sem ao menos eu saber o nome da metade de vocês. Por pedirem a Deus por mim, por não me abandonarem, por terem permanecido no meio da tempestade, por lotarem meus shows, por esse carinho e preocupação sem fim que tem por mim e pela minha família, por me defenderem com unhas e dentes. Eu amo cada um de vocês, e não importa o que dizem, eu sei que é verdadeiro, mesmo não sabendo o nome de cada um dos meus fãs, eu os amo pelo fato de me amarem como ninguém no mundo, com tanta verdade. — Uma lágrima tímida escapou dos seus olhos enquanto ele falava.


E nada mais precisava ser dito, ficamos abraçados um bom tempo e trocando carinho. Fizemos planos juntos, demos nome a algumas estrelas, ele me contou dos seus projetos pro novo dvd, e de como Dona Marizete e Sr Amarildo estávamos ansiosos pra me conhecer.
Ele fez uma ligação e o carro voltou para nos buscar e nos levar para o hotel, fomos o caminho todo em silêncio. Chegando lá, ele fez questão de falar com cada funcionário e depois que nós subimos. Com uma mão ele tampou meus olhos e abriu a porta do quarto, quando entramos ele foi tirando e novamente me abraçou por trás. O quarto estava repleto de velas, com uma decoração vermelha, uma panela de fondue estava sobre a mesa, fui em direção a sacada e percebi que estávamos de frente a praia, que na verdade fazia parte de uma parte do hotel.
Luan pegou em minha mão e me levou até o banheiro, que por sinal era enorme, uma banheira de hidro estava cheia, com flores na água e muita espuma. Me encostando na pia, ele me beijou com força e aos poucos foi retirando meu vestido, retirei sua camisa, puxei ele pelos cabelos para outro beijo, me agachei na sua frente e fui tirando sua calça num ritmo bem lento, ele me virou de costas e me encoxou, tirou meu sutiã com calma e depois abaixou pra tirar minha calcinha. Começamos ali mesmo em cima da pia, nosso frio já tinha se transformado num calor abrasador, ele me puxou e terminamos de nos amar na banheira, da forma mais carnal possível. Cansada, me joguei em seu peito enquanto ele esfregava algumas partes do meu corpo, virei a cabeça pra trás, dando um beijo em seu pescoço, sussurrei:
”Eu quero só você, eu amo só você e o resto tanto faz.”


Capítulo 8 - Parte 9.

Luan narrando:

Cada minuto que eu passava longe dela fisicamente, parecia uma eternidade, mas o destino tinha resolvido colaborar e na agenda apertada dela, teriam 2 dias de folga antes de recomeçar o trabalho pesado no escritório. Decidi fazer uma surpresa pra ela, queria que meus pais a conhecessem, mas tínhamos prometido começar do zero, então resolvi pegar mais leve e leva-la pra passar esses dois dias somente comigo, mas faria com que esses dois dias fossem inesquecíveis para nós dois. Com a ajuda de Bruna fiz reserva para um hotel, chamei os dois pilotos do meu jato, arrumei minha mala, pedi para que minha mãe fosse na rua comprar algumas coisas, arrumei minhas malas e liguei pra ela.

— Boa noite princesa, onde você ta?


— Oi amor, eu acabei de sair do escritório, tô indo num restaurante comer alguma coisa e tô indo pra casa.


— Posso te sequestrar nesses seus dois dias de folga? Liga pra algum lugar que entrega comida Japonesa, aí em São Paulo tem vários lugares, quando eu chegar no seu ap comemos juntos, ta? Arruma suas malas enquanto isso!


— Luan, o que você ta aprontando? Sabe que eu ainda não estou pronta pra conhecer seus pais, decidimos recomeçar do zero! — Ela deu uma risada nervosa.


— Eu sei e tô respeitando isso, vai ser como um encontro, ta? Faz o que eu te pedi, em pouco tempo eu chego aí, já estou no aeroporto de Londrina.


Assim que ela desligou a ligação, liguei pro hotel pra saber se estava tudo certo, pedi ao piloto do jato pra conferir se nosso helicóptero estaria pronto assim que chegássemos lá. Decolamos direto pra SP, demoramos cerca de uma hora e meia, como Sorocaba já tinha me dado o novo endereço dela, fui direto pra lá. O porteiro abriu o portão pra mim, interfonou pra Gabriela que liberou minha entrada.


Gabi narrando:

Quando as portas daquele elevador se abriram, mesmo estando sem vê-lo a menos de uma semana, a ficha só começava a cair naquele momento, de que os anos tinham se passado feito um furacão. Sua barba estava grande, seus músculos marcavam sua camisa, sua afeição era de um homem bem maduro, seu jeito de andar era mais confiante, mas seu sorriso continuava sereno como de um menino de 1O anos.
4 anos tinham se passado num piscar de olhos, e como esquecer? Nós éramos tão jovens, tão cheios de sonhos, tão inocentes. Ele vestia camisa xadrez, calças apertadas, numa palidez exaltante, olheiras profundas, cabelo arrepiado, rosto sem pelos, e o sorriso de menino levado!
Como eu não tinha percebido que todo esse tempo tinha se levado? Como nossas vidas tinham mudado, mas que graças a Deus tinha seguido o mesmo rumo. E eu lembro que todas as noites, eu orava pra que Ele enviasse um dos seus melhores anjos para protege-lo, pra cuidar dele como eu desejava, mas infelizmente não podia. Talvez eu não queria crer que nossas vidas estavam correndo, que nosso tempo era mais curto, que as coisas não eram como antes. Corri para seus braços e me joguei pra cima dele com toda força, fiquei naquele abraço por um bom tempo, senti seu cheiro que me causava arrepios, selei nossos lábios e suspirei aliviada.



— Eu senti sua falta, meu gurizinho. — Sorri.


— Também senti, minha gorda. — Ele selou nossos lábios novamente.


— Vem, nossa janta ta em cima da mesa.


Lavamos a mão e fomos comer, ficamos em silêncio até terminarmos, tomamos quase um pote de sorvete juntos de sobremesa.
Minhas coisas já estavam arrumadas, fui pro quarto pegar minha mala e minha bolsa de mão, quando ouvi Luan entrar. Ele colocou nossos corpos, me imprensou contra os armário e tomou minha boca de uma forma carnal que eu nunca tinha visto. Com a mão direita ele levantou meu vestido e alisou minha coxa, rapidamente eu joguei o corpo dele pra frente e desabotoei sua calça.


— Amor, a gente não vai ter tempo pra isso. O piloto esta nos esperando no aeroporto!


— Não quero saber, você me provocou e agora ta me negando uma boa transa? — Sorri maliciosa.


— Mulher, cê quer acabar comigo né? Só pode! A gente faz isso no carro se você quiser. — Ele piscou.


— Você veio dirigindo sozinho?


— Não, o Weligton que me trouxe, mas podemos ser discretos que ele nem vai perceber.


—  Luan, seu nojento! — Dei um tapa em seu ombro.


— Tô brincando, princesa. Vamos, teremos todo tempo do mundo pra satisfazer seus desejos sexuais. — Ele sorriu travesso.


Ele me ajudou a descer com a mala, entramos no carro, falei com o Weligton e sentamos no banco de trás. Fomos o caminho inteiro até o aeroporto (cerca de 3O minutos), ouvindo algumas músicas no celular de Luan. Descemos e fomos direto para pista de voo, lá estava um helicóptero enorme nos esperando, o que será que esse menino estava aprontando? Mas de uma coisa ele não sabia, e eu estava começando a descobrir: Eu tinha pavor de andar de helicóptero, mas pra minha sorte nossa viagem duraria pouco mais de 30 minutos, iríamos pro Rio de Janeiro, mas o nome da cidade ainda não tinha sido revelada, ele queria fazer surpresa até o último instante.


Capítulo 8 - Parte 8.

Gabi narrando:


Ele veio com uma caixa média nas mãos e uma garrafa de suco dell vale de uva, o sabor da pizza era presunto com bacon, minha fome estava absurda e provavelmente a dele também, pois devoramos tudo em poucos minutos. Com a ponta do dedo ele tirou um pingo de maionese que estava na ponta do meu nariz e lambeu em seguida, fazendo cara feia. Tirou do bolso uma barra de kit kat e jogou em cima de mim.


— Toma gorda, eu sei que você adora esse.

— Obrigada, maromba chato. Parece uma menininha, vive de dieta.

— Babaca! — Ele me deu um empurrão. — Hey, a Laís me contou o que uma das minhas fãs disse pra você, me perdoa ta? Elas são tão ciumentas as vezes, me assusta, tenho medo de arrumar uma namorada e ela não aguentar a pressão. Mas eu sei que minhas atitudes não ajudam também, sou um mulherengo de mãos cheias. Enfim, o assunto não é esse, mas se você quiser voltar pro escritório logo, eu vou entender, não quero que você fique ouvindo essas coisas.


— Eu não me importo com esses comentários, nós dois sabemos que não somos nada mais que amigos. Como eu respondi pra ela, eu também sou fã e entendo esse ciúme, sei que muitas vezes não é sadio, mas elas te amam incondicionalmente e querem te proteger a qualquer custo, o que mais tem por essas estradas, são mulheres aproveitadoras, que farão de tudo pra arrumar um filho com você e lhe arrancar um belo dinheiro. E não, eu não quero voltar pro escritório agora, os dias na estrada tem sido maravilhosos e vou aproveitar ao máximo. Não se preocupa com isso, eu sei lidar ta? — Sorri pra ele.


— Vou sentir falta quando você for pro escritório, mesmo sabendo que vai ser necessário. Quero um dia encontrar uma mulher como você, o Luan tem sorte, espero que ele saiba dar valor.


— Para Lucas, esses tipos de elogios me deixam sem graça! — Dei um tapa no ombro dele.


— Vou te contar algo bem engraçado, não briga comigo ta? — Ele riu safadamente. — Eu era afim mesmo de pegar você, confesso. Você é inteligente, não é interesseira, é gostosa, linda é claro, tem um sorriso perfeito. Mas aí eu vi que eu não ia conseguir nem um beijo, depois de ontem quando o Luan veio me dizer que te amava, aí mesmo que eu desisti. Mas se não der certo com o Luan, não esquece que meu corpo quer o seu! — Ele piscou.


— Saí do meu quarto agora, seu tarado! Saí, vou ligar pro Luan e contar pra ele o que você acabou de me dizer, ele vai querer socar tua cara que nem fez com o cara da boate. — Soltei uma gargalhada. — Deixa de ser bobo ninguém se interessaria por uma menina tão sem sal como eu, ainda nem consigo acreditar que ele realmente gosta de mim. E além do mais, você pode ter a mulher que quiser.


— Posso nada, porque eu queria ter você e nem assim eu tive. — Ele riu de novo, mas dessa vez parecia mais sério.


— Com o tempo você vai encontrar alguém que vai realmente mexer contigo, alguém que vai valer a pena se apaixonar. No momento certo, a menina dos seus sonhos vai aparecer. Você pode achar que vai demorar, mas vai vir no tempo certo, pra fazer toda espera valer a pena! — Dei um beijo no rosto dele.


— Obrigada pelas palavras, eu sei que já conquistei uma amiga! Já está tarde, preciso ir deitar. Boa noite, ta?


— E eu tenho certeza também que já conquistei um grande amigo. Boa noite, dorme bem.


Nos abraçamos e ele saiu rápido do quarto, logo em seguida meu celular tocou novamente, era Luan. As borboletas em meu estômago criavam vida novamente, e automaticamente eu sorri. Ele contava tão animado sobre o seu novo projeto do dvd, eu podia imagina-lo sorrindo do outro lado da linha, sabia que ele fazia tudo que amava, mesmo tendo que abrir mão de tantas coisas ”normais” em sua vida, mas ele sabia e ele também, que tinha feito a escolha certa, ele estava a 6 anos nesse rumo e o seguiria até morrer, a alegria que suas fãs exalavam quando o via cantar, quando o abraçava, quando ele ganhava algum prêmio, era tudo tão recíproco e emocionante. Ele podia não saber o nome de cada um delas, ou lembrar dos seus rostos, mas amava cada uma igualmente.
A semana tinha passado depressa, teríamos 2 dias de folga e ficaríamos mais 5 dias na estrada, depois disso eu voltaria imediatamente pro escritório com o meu relatório sobre todos os gatos, o que seria necessário cortar e adicionar.


Nota da autora! (IMPORTANTE.)

Olá leitores mais lindos e únicos que restaram! Me perdoem por ter ficado meses sem postar na fanfic, mas como eu expliquei no grupo do facebook, minha vida estava uma loucura e eu nem sempre podia postar, acabei ficando sem computador também. Mas voltei a escrever pra vocês, e vou tentar postar pelo menos umas 5x por semana, ou 3. Enquanto eu tiver tempo, vou adiantando os capítulos pra vocês e vou postando.

Me perdoem mesmo pelo sumiço, não sabem o quanto eu amo escrever pra vocês aqui, mas eu também tenho outras prioridades.

Criei um grupo no facebook, que vou avisar sempre que eu postar, e talvez eu comece até outra fanfic! Peço participem do grupo, lá vou postar músicas pra vocês ouvirem enquanto estiverem lendo, postarei novidades, se houver algum imprevisto e eu não puder postar, também vou avisar!

O link: https://www.facebook.com/groups/302185383215843/

Um beijo!!

♥ Obrigada por tudo.


Capítulo 8 - Parte 7.

Gabi narrando:

Estava um pouco atrasada pro show daquele dia, acabei dormindo demais. Coloquei um vestido azul e um salto preto, uma jaquetinha de couro por cima, prendi o cabelo num rabo de cavalo com duas mechas soltas, e peguei leve na maquiagem. Encontrei Lucas no hall do hotel, ele soltou um ”fiu fiu” que me deixou com as bochechas vermelhas. Fiquei conversando com o Luan no whats, mas tive que soltar o celular quando chegamos ao local do show, eu tinha realmente muita coisa a fazer. Me deram o ”trabalho” de escolher a mozão da noite, e é claro que eu fiquei feliz por isso, como a eterna fã do meu gurizinho, eu sabia cada coisa que passávamos pra estar perto de nossos ídolos. Então eu iria atrás de uma fã, aquela a qual meu coração apontasse e dissesse: Hoje chegou a hora dela!
Fui até lá fora e fiquei rondando pelo rodeio, quando me deparei com uma roda de mais ou menos 6 meninas, todas elas estavam com atenção para só uma delas: magra, de cabelos compridos, mechas loiras, alta e linda. O sorriso delas brilhavam enquanto ouviam essa menina falar, cheguei mais perto com a minha lata de refrigerante na mão e prestava atenção no que ela falava, contava os detalhes da viagem louca que tinha feito de Minas Gerais até o Paraná, da paixão pelo Luan e pelo Lucas, a qual ela tinha um fã clube famoso chamado QUATRO DE ABRIL, onde escrevia seus sonhos em uma fanfic, e compartilhava com outras milhões de fãs. O que mais me chamou atenção, foi pelo fato de tanta dedicação, amor e carinho retribuídos por parte das outras meninas. E ela tinha um sonho, esse sonho era poder vê-lo de perto, e abraça-lo pela primeira vez. Na hora meu coração tinha se tocado de que era ela, tinha chegado a sua vez, fui me aproximando aos poucos, e quando elas notaram minha presença se espantaram, acho que elas também tinham me reconhecido.


— Olá! — Disse sorrindo largo para elas.


— Não é a nova comidinha do Lucas? Ops, quis dizer assessora! — Uma delas respondeu.


— Bianca, não seja indiscreta. Quantas vezes falamos sobre isso? Com quem o Lucas se relaciona ou deixa de se relacionar é problema totalmente dele. — A menina que tinha chamado minha atenção, retrucou.


— Pode ter certeza que nosso relacionamento não passa do profissional, sou adulta o suficiente pra saber separar as coisas. O Lucas tem sido um grande amigo, nada mais que isso! — Falei um pouco mais brava do que eu esperava.


—  Me desculpe por ela. — A ruivinha me respondeu.


— Não tem problemas, eu entendo todo esse ciúme. Afinal, eu também tenho um ídolo. Posso falar com você um instante?  Segurei no braço da mais alta.


— Claro! Afinal, meu nome é Laís, o teu é Gabriela, né? —


— Sim, mas pode me chamar de Gabi.


Fomos para um lugar mais afastado e lá expliquei o porque deu ter ido atrás dela, sem dizer uma palavra ela me olhava ainda atônita, segurou minha mão e apenas disse um sim com a cabeça. Meu Deus, será que ela iria desmaiar? Será que ela iria agarrar o Lucas e tentar beija-lo? tive muito medo da sua reação, mas não voltei atrás. A coloquei no backstage, resolvi algumas coisas e depois subi com ela para a lateral do palco, e ela ainda continuava muda. O show começou e quando a música mozão estava no meio, Lucas a chamou e ela sorriu pra mim pela primeira vez, subiu no palco, o abraçou com toda delicadeza do mundo, deitou em seu colo, o ouviu cantar pra ela e se entregou aquele momento lindo na maior serenidade. Quando a música acabou ela voltou pro meu lado, me abraçou com força e entre lágrimas sussurrou um ”’OBRIGADA.” Curtimos o resto do show juntas, ela cantava todas as músicas com muito fôlego e felicidade, ele se despediu do público e desceu do palco, vindo ao nosso encontro, ele me abraçou e me deu um beijo no rosto, depois a cumprimentou.


— Hey Lucas, essa é a Laís! Ela tem um fã clube bem famoso teu, veio de Minas só pra te prestigiar.


— Eu tô ligado, do Quatro de abril né? Vejo as coisas lindas que você me escreve, a tua dedicação, o empenho em divulgar meu trabalho. Fico feliz que tenhamos nos conhecido, ainda mais nessa situação. Tenho certeza que foi coisa da Gabi! — Ele a abraçou mais uma vez.


— Lucas, não importa o que digam, eu sempre vou te amar. É por essas e outras coisas que valem a pena ter um ídolo, não sabe o quanto julgamento eu recebi pra chegar até aqui e ter seu reconhecimento! E essa mulher? Ela é um anjo, de verdade. Obrigada por sempre fazer tudo valer a pena. Eu ainda acho que estou vivendo um sonho, um daqueles do qual toda noite eu tenho contigo.

Vi uma lágrima correr pelos olhos dele, que segurava as mãos dela e sorria feito um bobo. Se tivesse algo mais bonito do que ver uma fã grata por tudo que seu ídolo lhe proporcionava, era vê-la o comovendo e ele sendo grato por elas estarem com ele, não importava as circunstâncias. Os levei até o camarim e ficaram batendo papo por um bom tempo, ela contava as loucuras que tinha feito pra chegar até ele, e ele se espantava com algumas loucuras, dava risada de outras. Já estava na hora de irmos embora, e eu sabia o quanto doía se despedir de alguém que amávamos, e era mais dolorido ainda a incerteza de quando a veremos novamente, mas ela era tão esperta que sabia controlar isso tão bem. Segurou nas mãos dele e sorrindo disse: ”Em breve iremos nos encontrar, eu tenho fé que se Deus fez acontecer uma vez, fará acontecer mais outras milhões, e eu vou estar esperando ansiosamente pelo nosso abraço.” Eles se despediram e nós dois seguimos para a van, ele foi o caminho todo quietinho, no hall do hotel disse que tomaria um banho e iria aparecer em meu quarto dentro de meia hora pra conversamos e iria pedir uma pizza, ele adiantaria o dia do ”lixo” na sua dieta.
Antes de entrar pro banho, mandei uma sms pra Luan perguntando se ele estava ocupado, e menos de 5 minutos depois meu celular toca, seu nome e nossa foto apareceu no visor, fazendo meu coração quase saltar pela boca de felicidade.


— Boa noite, princesa.


— Boa noite, mô. — Falei com uma voz dengosa.


Ficamos por um bom tempo conversando, ele estava cansado e disse que precisava ainda resolver mais algumas coisas sobre seu projeto novo, mas disse que antes de ir pra cama me ligaria. Entrei pro banho, coloquei uma roupa mais a vontade e pouco depois a campainha toca, era Lucas.


Capítulo 8 - Parte 6.

Luan narrando:


Cheguei em casa e quando abri a porta, vi minha mãe me olhar furiosa. Eu fui me preparando psicologicamente o caminho inteiro sabendo que ela iria falar até eu contar o que tinha acontecido. E depois de todo aquele interrogatório, iria dar mais um sermão. Ela andou em minha direção, me abraçou e logo em seguida me deu um forte tapa no braço.


— Pode começar a me contar por onde você dormiu, e porque você cometeu tamanha irresponsabilidade.


Bruna estava descendo as escadas, mas quando viu o que vinha pela frente, subiu e sussurrou: ”boa sorte.”


— Eu posso explicar, mamusca! — Sorri amarelo.


— Não, espera! Eu vou adivinhar. Isso só pode ter sido coisa de mulher, eu nunca vi, elas viram tanto a sua cabeça meu filho. Ao ponto de você largar sua irmã sozinha naquele lugar. — Ela disparou.


— Mamusca, será que alguma vez você vai me ouvir? Sim, foi por causa de mulher. Mas essa mexe comigo, não só com  a minha cabeça, mas com meus sentimentos, com meu coração, com meus sentidos. Eu sei que foi loucura, que foi irresponsabilidade, mas eu não podia deixar essa oportunidade passar, eu não podia deixar com que ela fosse embora sem que eu dissesse que ela é o amor da minha vida.
Nós estamos dispostos a começar do zero, como se tivéssemos nos conhecido ontem. Eu finalmente encontrei o amor. — Desabafei.


Eu sorria feito um bobo falando todas aquelas coisas, lembrei de Gabriela na hora e o quanto ela ficaria envergonhada se eu falasse isso na frente da minha mãe, ela ficava constrangida em qualquer situação. Meu pai entrou em casa na hora em que eu disse as últimas palavras, minha mãe não conseguia esboçar nenhuma reação, ela andou na minha direção me abraçando novamente, meu pai olhava pra nós dois sem entender muito bem o que estava acontecendo.


— E quando vamos conhece-la? Porque não a trouxe aqui hoje? — Ela bateu palmas.


— Mamusca, o que deu na senhora? A um minuto atrás estava querendo me bater e agora ta toda empolgada?


— Meu filho, já ouvi você dizer uma porção de vezes que estava apaixonado, ou caidinho por essas periguetes que você arruma por aí. Mas nunca o ouvi dizer que tinha encontrado o amor, e nem que alguma delas era o amor da sua vida. Essa menina realmente deve valer ouro, tenho certeza que dessa vez fez uma boa escolha. Vi seus olhos com um brilho tão intenso ao dizer isso, e esse sorriso? ele nunca me esconde nada. — Ela sorriu serenamente.


— Ela é minha fã, ela me ama do jeito que eu sou, ela conhece o verdadeiro Luan Rafael. Ela não se apaixonou pela minha fama, nem pelo meu status e sim pelo completo bobo que eu sou.


— Filho, ela é sua fã? Toma cuidado, pelo amor de Deus. Não a machuque, os sentimentos dela são cem vezes mais intensos que os seus.


— Fica tranquila, eu prometo que sei o que estou fazendo. Eu a amo, muito. Por mais que eu tenha demorado e vacilado pra descobrir isso, eu jamais faria algo pra magoa-la. Logo eu vou trazê-la aqui, mas como eu disse queremos fazer as coisas com calma, recomeçar, na hora certa ela vem passar uns dias conosco. Ta? Agora preciso tomar um banho, comer algo e dormir mais um pouco.


— Luan? — Minha mãe sorriu serena de novo. — Deixa eu pelo menos ver uma foto dela?


— Não, vai ser uma surpresa quando ela chegar aqui. Agora preciso ir, tchau! — Subi as escadas correndo.


Subi e fui tomar meu banho, comi o strogonoff maravilhoso da minha mãe, postei uma foto no instagram e fiquei no twitter conversando com minhas fãs por um tempo, resolvi ligar pra Gabriela pra saber se ela tinha chegado bem e pra tentar matar um pouco da saudade que eu já estava. Chamou somente por duas vezes, até que aquela voz gostosa surgiu do outro lado da linha.


— Boa tarde, dorminhoco!


— Olha quem fala. — Ri. — E aí, cê chegou bem de viagem?


—  Sim, obrigada por se preocupar, e aí sua mãe brigou muito contigo quando chegou em casa?


— Ela quer te conhecer. Na verdade nem brigou quando eu contei de você, pelo contrário, ela se empolgou.


— Luaaaaaaaan! — Ela berrou.


Ficamos uns 30 minutos no telefone, só desligamos porque ela tinha muita coisa pra resolver e seriam dos shows naquela noite. Fiquei pensando no seu sorriso e na nossa noite a tarde inteira, fazendo e refazendo meus planos. Pensando na família linda que ela poderia me dar, das viagens que faríamos juntos, das noites de frio que dormiríamos agarrados, da apreensão dela em conhecer minha família, do dia do nosso casamento. Eu sei, era muito cedo pra pensar naquilo tudo… mas ela só me fazia enxergar o futuro e o que de bom ele poderia nos trazer. Acabei pegando no sono, acordei com uma mensagem no whatsapp, era ela. Mandando uma foto arrumada e completamente linda, por um segundo tive inveja do Lucas que poderia estar com ela todos os dias praticamente, aquele sorriso que me tirava do chão e aquele rosto pelo qual me apaixonei.